AUTOAVALIAÇÃO DHJUS - CAA


COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO - CAA/DHJUS (CICLO 2017-2020)

 

 1. Prof. Rodolfo Jacarandá (Coordenador).

2. Prof. Márcio Secco (Docente/UNIR).

3. Profª Aparecida Zuin (Docente/EDucação/UNIR).

4. Úrsula Teodoro Gonçalves (Discente/Magistrada)

5. Risoneide Maria da Silva Alves (Técnica).

 

(Reunião Ordinária n. 6 de 12 de dezembro de 2017 - Ata de reunião deliberativa PPGDHJUS SEI/UNIR 0460696)

 

 

 

OBJETIVOS DA AUTOAVALIAÇÃO

 

 

  1. Colaborar para a melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa, da inserção social, econômica, ambiental e cultural, e da gestão do DHJUS;
  2. Identificar as qualidades, os problemas e os desafios do DHJUS no contexto amazônico;
  3. Identificar o protagonismo do DHJUS através de seus impactos sociais, econômicos, ambientais e culturais na região amazônica ocidental;
  4. Integrar a avaliação interna do DHJUS às diversas iniciativas de avaliação já existentes na UNIR;
  5. Propiciar novas ideias e soluções para ampliar a integração da área de concentração, com as das linhas de pesquisa;
  6. Incorporar os resultados obtidos com a autoavaliação visando alternativas para maior relevância e inserção do DHJUS junto à sociedade.

 

 

ETAPAS DE IMPLEMENTAÇÃO E METAS

 

 

ETAPA 1: PREPARAÇÃO

 

  • Estudo e levantamento das ações de avaliação realizados ao longo da avaliação quadrienal (2017-2020);
  • Elaboração de formulários a serem respondidos pelos envolvidos no processo avaliativo;
  • Elaboração do relatório executivo a ser preenchido pelos discentes e docentes para avaliação dos trabalhos de conclusão de curso e produto final;
  • Divulgação, no Colegiado do DHJUS, dos critérios e métricas da autoavaliação;
  • Seminários internos para apresentação dos processos de autoavaliação.

 

 

ETAPA 2: DESENVOLVIMENTO DA AUTOAVALIAÇÃO

 

  • Análise das ações de avaliação já existentes na UNIR;
  • Definições do escopo da autoavaliação do DHJUS junto à comunidade acadêmica; docentes e coordenação dos trabalhos;
  • Proposição dos instrumentos avaliativos, incluindo questionários para docentes, discentes e egressos;

 

Execução da avaliação segundo os itens a seguir:

 

a)     A missão e visão do Programa;

b)     Consonância com a política nacional para o ensino de pós-graduação;

c)     A interação e inserção na sociedade;

d)     A interação com a graduação;

e)     Organização e gestão do DHJUS de forma a garantir a participação da comunidade acadêmica nos processos decisórios;

f)       Elaboração de relatórios;

g)     Elaboração do Planejamento Estratégico;

h)     Planejamento em relação aos processos, resultados e eficácia da autoavaliação do DHJUS.

 

 

ETAPA 3: METODOLOGIA E CONSOLIDAÇÃO DAS INFORMAÇÕES

 

 

A avaliação deve iniciar com o estudo da Proposta do Programa que serviu de parâmetro para as análises, os fundamentos conceituais, a matriz curricular, dentre outros, questões que já estão definidas no APCN – Proposta do Programa.

O levantamento e coleta de dados se deu em forma de pesquisa, procedendo-se a uma avaliação baseada nos aspectos quanti/qualitativos, com ênfase no qualitativo. Adotamos como técnicas de pesquisa:

 

  • Análise documental e aplicação de questionários.
  • Elaboração do documento que orientou o Planejamento Estratégico;
  • Elaboração de relatório para a Coleta Capes 2020;
  • Divulgação dos resultados à comunidade acadêmica;
  • Sistematização dos resultados dos formulários respondidos pela comunidade acadêmica;
  • Sistematização dos resultados do relatório executivo preenchido pelos discentes e docentes.

 

 

ETAPA 4: DIMENSÕES DA AUTOAVALIAÇÃO DO DHJUS

 

  • Articulação, aderência e coerência com a missão, visão e objetivos do DHJUS;

 

  • Articulação do Programa com as demandas de formação de magistrados, agentes políticos de outras instituições, servidores da justiça e sociedade civil;

 

  • Adequação das disciplinas às linhas de pesquisa do programa e do perfil dos docentes;

 

  • Adequação dos conteúdos das disciplinas aos produtos desenvolvidos pelos discentes;

 

  • Atualização e dedicação dos docentes do programa às demandas da região amazônica.

 

  • Avaliação constante do processo de autoavaliação do DHJUS;

 

  • Abrangência do processo de autoavaliação junto aos docentes, discentes egressos e parceiro TJRO/Emeron;

 

  • Participação dos docentes, discentes, egressos e parceiro TJRO/Emeron, no processo de planejamento;

 

  • Transparência do processo de planejamento;

 

  • Articulação entre objetivos do parceiro TJRO/Emeron e os resultados da autoavaliação.


<<
Agosto 2022
>>
DoSeTeQuQuSe
 123456
78910111213
1415161718
19
20
21222324252627
28293031